Qual a origem do Violino?

Conheça a Origem do violino e o que é aqui no Origem das coisas. Para entender mais sobre o surgimento do instrumento, leia aqui!

Apesar de ser um instrumento tão bonito e fino, poucos sabem sobre a origem do violino. Mas não se preocupe, pois vamos te explicar sobre a história desse instrumento no decorrer do conteúdo.

O violino hoje em dia é usado em diversos artistas de rua, orquestras e musicais como um dos instrumentos responsáveis por partes muito importantes no arranjo musical. É provavelmente um dos instrumentos mais vendidos no mundo atualmente! Confira agora a origem do violino, o que é, como usar e outros detalhes deste instrumento.

O que é o Violino?

O violino é menor instrumento da família dos instrumentos de cordas, provavelmente também um dos mais agudos. Se trata de um instrumento que conta com 4 cordas arqueadas, necessita da chamada “vareta” que seria o equivalente as palhetas dos violões, usado para fazer soar suas cordas.

Quando devidamente afinado, produz sons muito bonitos e marcantes, eles têm o dom de despertar diversas emoções boas em nós seres humanos, quando ouvimos sua melodia.
Produz sons marcantes. Fonte/Reprodução: original.

Quando devidamente afinado, produz sons muito bonitos e marcantes, eles têm o dom de despertar diversas emoções boas em nós seres humanos, quando ouvimos sua melodia.

Conseguem não só nos deixar relaxados com pensamentos positivos, mas até provocar sono em algumas pessoas!

A origem do violino é bem antiga e ele já está entre nós desde o fim do século XVI, é um instrumento que foi muito aprimorado desde então.

Para que serve o Violino?

Desde a origem do violino, eles serviram para enriquecer muito a cultura musical de diversos países no mundo. Afinal é um instrumento com um som maravilhoso aos nossos ouvidos quando tocado de uma maneira habilidosa.

Se popularizou entre artistas de rua, peças teatrais, orquestras e até mesmo bandas e grupos musicais que usam majoritariamente instrumentos de cordas em seus arranjos.

Dentro de uma orquestra, os violinos e violoncelos são excepcionalmente importantes para o concerto dada a sua tessitura (termo relacionado à altura da nota: aguda ou grave). Eles são numerosos e divididos geralmente entre o que são chamados de “primeiros e segundos” dentro da composição.

Os primeiros e segundos são praticamente responsáveis pela maior parte do som bonito que chegará aos seus tímpanos durante um concerto e contam sempre com um violinista principal chamado de “Spalla”; é ele que será responsável por fazer solos de violino e até a substituir o maestro da orquestra se ele faltar na composição.

Qual a origem do Violino?

A origem do violino é datada por volta do ano de 1520, onde foram feitos os primeiros e primogênitos da família dos violinos. Os artesãos que faziam violinos na época eram chamados de “Luthier” e foram evoluindo o instrumento conforme o tempo, até se tornar o que conhecemos hoje!

Alguns dos nomes mais famosos de Luthiers que acabaram por definir um certo padrão de qualidade nos instrumentos em questão foram:
Nomes famosos. Fonte/Reprodução: original.

Alguns dos nomes mais famosos de Luthiers que acabaram por definir um certo padrão de qualidade nos instrumentos em questão foram:

  • Amati;
  • Stradivari;
  • Maggini;
  • Guarnierius.

Estes se tratam de sobrenomes de artesãos requisitados, que ficaram muito conhecidos por suas produções de violinos luxuosos, com materiais caros e muito bem feitos. Alguns, mesmo que em pouco número, existem até hoje no mercado para compra.

Estes são violinos batizados com seus sobrenomes, alguns bem mais caros do que outros. Como os Violinos Stradivarius originais que depois de uma longa trajetória desde sua produção, chegam a custar milhões de dólares em leilões atuais quando provada sua procedência; como o violino ornamentado Hellier’ Stradivarius que entrou em leilão com preços que variam entre R$ 36 milhões a R$ 54 milhões.

Como é feito o Violino?

Desde a origem do violino, ele já passou por diversas mudanças, tanto nos materiais usados para fazer suas cordas, até no tipo de madeira de que é feito o seu corpo em si.

O artesão precisa ser bem habilidoso e saber exatamente o que está fazendo, pois a atividade de fazer um violino sempre exige muita precisão e atenção quanto às etapas do processo. Desde a escolha do material, até o acabamento e finalização de um violino existem muitas etapas que o tornam um bicho de sete cabeças para quem nunca produziu um violino.

Ele precisa de toda uma atenção a sua construção e ser moldado e montado de uma maneira que passa por diversos processos, desde entalhar seus chamados “ouvidos” em forma de F, até a montagem e envernização da peça.

O menor dos erros e ele terá estragado uma parte essencial do instrumento, tendo que substituí-la e fazê-la outra vez, ou até mesmo tendo que substituir o violino inteiro se o erro for cometido perto da finalização da peça, onde pode prejudicar sua sonoridade.

Quais os componentes do Violino?

Desde a origem do violino, após produzido e finalizado todos os processos; Ele possui várias partes diferentes, desde seu corpo até a sua vareta que será usada para tocá-lo. Agora vamos fazer um tour pela estrutura de um violino, citando todos os seus componentes e explicando para que servem.

Estandarte

O estandarte é a parte da composição do violino cuja função é prender as cordas no corpo do violino.

Queixeira

A queixeira é uma peça de material macio colocada no violino, onde o violinista irá apoiar o seu queixo enquanto toca o instrumento.

Pestana

A pestana é a parte que se situa perto das cravelhas e serve para prender as cordas na extremidade oposta ao estandarte.

Cavalete

O cavalete é a peça que fica com a função de manter as cordas do violino distantes de seu corpo, é uma peça ajustável que se desregulada faz com que o violino perca a precisão do som que irá emitir tornando-o desagradável aos ouvidos.

Cravelhas

As cravelhas são as 4 peças correspondentes ao afinador do violino, é por elas que o violinista define a tensão das cordas de seu instrumento e também qual a entonação que ele terá.

Microafinadores

Estes são para ajudar ainda mais as cravelhas a afinar o instrumento, se tratam de parafusos dispostos na parte inferior do violino que ajudam o violinista a obter uma afinação ainda mais precisa.

Aberturas acústicas

Estas são as aberturas no tampo superior do violino e servem para ajudar a vibração, produzida pelo atrito entre o arco e suas cordas, ressoar de melhor maneira, amplificando assim o som que chegará aos nossos ouvidos bem mais alto.

Espaleira

Esta é uma peça que nem sempre acompanha os violinos quando é feita sua compra, pois se trata de um acessório que quando colocado serve para oferecer um apoio do instrumento ao ombro do violinista, entregando mais conforto e ainda mais precisão ao tocá-lo.

Espelho

O espelho se trata da peça responsável por ser onde o violinista vai fazer a digitação de suas notas, e dar entonações diferentes ao violino.

Arco

O arco seria o equivalente a “palheta” do violino, se trata de uma vareta de madeira com um fio que pode ser feito de vários materiais diferentes; e serve para fazer a fricção nas cordas do violino, tirando assim o tão característico som do instrumento.

Curioso ver como um instrumento tão pequeno pode ter tantas separações, peças e acessórios em sua estrutura de componentes!

Como usar o Violino?

O violino é um instrumento que leva tempo para aprender a dominá-lo, e agora que já aprendemos tudo o que precisávamos sobre a sua história de vida, a origem do violino e como ele evoluiu.

Vamos abordar um pouco sobre o que você deve ou não fazer quando estiver em posse de um violino. Como usar um violino de maneira correta, dando algumas dicas sobre postura, posicionamento dos dedos, e até como afinar o seu violino.

Violinos exigem um certo cuidado na hora de tocar, seja atencioso com o seu instrumento, use o conhecimento que você já aprendeu aqui ao seu favor e comece a treinar! Você pode tocar as cordas soltas para ver como soam, pode tentar fazer escalas, dedilhados, etc.

Podemos comparar os violinos com a digitação de uma certa forma, quanto mais você treinar, mais irá evoluir; até chegar ao ponto onde seus dedos já irão saber aonde ir e quando.

Não deixe seu arco muito tensionado quando for tocar, e após terminar não o guarde apertado igual quando você usou no instrumento, pois ele corre o risco de ser danificado e a manutenção de peças do violino como um todo costuma não ser nada barata e nem fácil de encontrar.

Você deve treinar todas as etapas do processo, desde aprender a como segurar e apoiar o seu violino. Até a afinação do instrumento, que pode ser feita em conjunto com aplicativos para celular ou softwares de computador para facilitar a tarefa de quem não possui um ouvido crítico ou conhecimento suficiente na área para obter êxito.

Gostou de saber mais sobre a origem do violino? Ficou curioso para saber quem comprou o Hellier’ Stradivarius? Aqui termina o nosso pequeno vislumbre do mundo dos violinos e violinistas desde sua origem.

3 comentários em “Qual a origem do Violino?”

Deixe um comentário